Contaminação cruzada: lavar o frango ou limpar?

http://www.chefsdobrasil.com.br/wp-content/uploads/2020/01/contaminacao-cruzada-frango-lavar.jpgContaminação cruzada: lavar o frango ou limpar?

Fonte: discussão no Grupo Chefs do Brasil Facebook

É bem complicada essa pergunta, pois temos fontes ótimas que falam coisas diferentes.

O FDA aconselha a não lavar.
Harold McGee diz que é para lavar.
A Anvisa alerta para não lavar, também, então como somos brasileiros, vamos ler e seguir o que diz a Anvisa, embora não seja específica em relação ao frango como é o FDA.

Muita gente não sabe, mas o simples ato de cortar um frango cru e utilizar a mesma faca, sem lavar, para fatiar uma carne assada pode ser um risco a saúde. É que carnes cruas e vegetais não lavados apresentam uma série de microrganismos causadores de doenças, que eventualmente são transferidos aos alimentos prontos.

“Esse tipo de contaminação cruzada pode acontecer por meio da transferência de microrganismos de um alimento ou superfície para meio de utensílios, equipamentos ou do próprio manipulador”, afirma Maria Cecília Brito, diretora da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Por isso, a Organização Mundial da Saúde recomenda que os alimentos crus fiquem separados dos cozidos.

Para garantir a segurança de consumo, o processo de cozimento ou lavagem dos alimentos crus também não pode ser esquecido. Dados do Ministério da Saúde indicam que alimentos crus, como ovos e carnes vermelhas, são responsáveis, em média, por 34,5% dos surtos de doenças transmitidas por alimentos que ocorrem no Brasil.

Um cozimento adequado consegue matar quase todos os micróbios perigosos. “Estudos demonstram que cozinhar os alimentos a uma temperatura acima de 70° C garante um consumo mais seguro”, complementa Maria Cecília.

Para minimizar os riscos associados ao consumo de ovos crus, a Anvisa obrigou, este ano, a declaração na rotulagem de ovos das seguintes informações: “O consumo deste alimento cru ou mal cozido pode causar danos à saúde” e “Manter os ovos preferencialmente refrigerados”. Na rotulagem de carnes de aves e miúdos de aves há declarações obrigatórias semelhantes.

Créditos: Ripp